sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Cronista por um dia

Estava eu a fazer os trabalhos de casa quando reparei que precisava de um livro para fazer comparações. Decidi então ir à biblioteca da minha rua, mas sem pressa, pois costumava frequentar aquele lugar muita gente e precisava de silêncio para trabalhar. Preparei os materiais e saí de casa.

Quando cheguei, não vi nem um carro no estacionamento e pensei que a biblioteca estivesse fechada mas decidi entrar. Afinal estava aberta e fiquei muito confusa e admirada.

As pessoas, hoje em dia, não apreciam os livros nem a leitura, preferem estar a fazer outras atividades menos educativas ou estar em casa ao telemóvel, isoladas. Senti-me estranha e sozinha porque sempre vi aquela biblioteca com imensas pessoas e com muitas utilidades. Perdeu-se a noção do quanto faz bem ler e aproveitar o tempo para aprender a conviver.

Cheguei a casa desanimada e a pensar se esta situação iria algum dia mudar.

Bárbara Vinhas, 9.º B

Sem comentários: