quarta-feira, 8 de junho de 2016

“Se eu ficar”



... a ler


Ao longo da vida vamo-nos deparando com situações inesperadas com as quais temos dificuldade em lidar. Ora, de entre todos os benefícios incontestáveis que a leitura nos proporciona, há um que também merece destaque: a reflexão, a opinião, o sentido crítico. As histórias que lemos, ainda que fictícias, ajudam-nos a compreender o mundo, a questioná-lo, a formar opiniões e espírito crítico. Porque não experimentar com a leitura desta história?


A personagem principal, Mia, é uma jovem talentosa de 17 anos, que tem uma vida pela frente. Cheia de projetos e tormentos, ela própria se dá a conhecer: a paixão pela música clássica, a sua primeira história de amor, as suas zangas com a melhor amiga, uma família de roqueiros com a qual tem dificuldade em identificar-se, …

Mas, um acidente, do qual é a única sobrevivente, vai transtornar a sua vida. Sozinha no mundo, cai num coma profundo, durante o qual ela ouve tudo o que se passa e dizem à sua volta, e tem apenas um dia para fazer uma escolha: morrer ou manter-se viva; viver com a angústia de ser órfã ou lutar e viver pelos que ficam? Durante um longo dia todos os que a rodeiam vão pesar na sua decisão, que vai mudar vezes sem conta. 

Ao longo da leitura muitas questões se nos colocam: onde está a coragem? Em viver ou morrer? O que é mais fácil? Deixar-se levar pelo destino ou lutar? Ficar por si ou pelos outros? Temos realmente escolha?

São questões essenciais e frequentes, embelezadas por simpáticas referências musicais que aligeiram a narração.

“Se eu ficar” não é apenas uma bela história de amor, é também um livro que nos leva a refletir sobre o verdadeiro sentido da vida: a importância do amor, da felicidade e dos laços familiares que são o nosso verdadeiro tesouro.

                                                                                                                           Leonilde Rodrigues

Sem comentários: