sexta-feira, 6 de maio de 2016

Migrações


Hoje em dia, é cada vez mais comum ouvir falar-se sobre a migração, embora este fenómeno seja intemporal. A pessoa que emigra é aquela que vai para outro país à procura de melhores condições de vida e deixa para trás parte da sua família, os seus amigos, a sua casa e tudo o que estava habituada a ter ou fazer no seu país de origem.

Ao longo do meu percurso escolar, tenho aprendido o que muitos migrantes sentem e sofrem (como por exemplo, racismo e xenofobia) com esta grande mudança. Em educação moral, história e geografia, tenho estudado as diferenças entre os vários povos, as diferentes religiões e os costumes de cada país. Estes conhecimentos que adquiri fazem com que eu seja capaz de respeitar cada povo e ser mais tolerante. Na disciplina de português, são vários os livros que nos remetem para as diferenças. No livro Historia de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, de Luís Sepúlveda, é bem visível a diferença entre o gato, Zorbas, e a gaivota, Ditosa, mas que, apesar disso, têm uma grande amizade e juntos ultrapassam as divergências e, inclusive, o gato ensinou a gaivota a voar. No livro O Cavaleiro da Dinamarca, de Sophia de Mello Breyner Andresen, é possível lisonjear as atitudes das várias pessoas que acolheram o Cavaleiro nas diversas regiões por onde ele foi passando. O romance O mundo em que vivi, de Ilse Losa é um exemplo da negação da aceitação das diferenças. Neste livro, é retratada uma época da história em que os judeus foram muito maltratados, considerados abaixo dos animais. Rose, a personagem principal, era judia e não percebia o porquê do mundo andar em guerra. Como tinha uma religião diferente, sabia que tinha hábitos divergentes dos seus colegas.



A aculturação é um processo importante por parte da pessoa que vai para outro país, pois é fundamental que ela saiba respeitar a cultura do mesmo.



Um país com multiculturalidade devidamente respeitada é rico nos mais diversos domínios, tanto em gastronomia, como em hábitos ou costumes. Além disso, promove trocas enriquecedoras de conhecimentos entre várias pessoas.



Iara de Jesus (N.º12, 8.ºA)

Sem comentários: