quinta-feira, 30 de abril de 2015

23rd – St George’s Day (England)

Saber (em) Inglês





St George is patron saint of England and among the most celebrated of all Christian figures.He is the patron saint of England and symbol of  England’s national day. The banner of  St George, the red cross of a martyr on a white background, was adopted for the uniform of English soldiers possibly in the reign of Richard I.


As we know the St George’s Cross (a red cross on a white background) is England’s national flag and also part of the Union Jack.Little is known about the life of the man himself, the earliest source says:“Eusebius of Caesarea, writing c. 322, tells of a soldier of noble birth who was put to death under Diocletian at Nicomedia on 23 April, 303, but makes no mention of his name, his country or his place of burial. According to the apocryphal Acts of St George current in various versions in the Eastern Church from the fifth century, George held the rank of tribune in the Roman army and was beheaded by Diocletian for protesting against the Emperor's persecution of Christians.”Such deed made George venerated throughout Christendom as having set an example of strength, courage and bravery in defense of the destitute and the defenseless Christian followers.Legend has it that St George was a Roman soldier who bravely killed a dragon to rescue a princess, here is how it goes:


One day Saint George travelled to Libya, upon his arrival he found a large pond, almost as big as a lake, where a ferocious and evil dragon lived. The dragon was terrorising the country and, every day, folks had been feeding the dragon a sheep to appease and calm his fury. However, when the sheep were all gone, the dragon demanded that the people sacrifice a young girl to him each day.When Saint George realised that all the young girls had now been killed and only the King of Egypt’s daughter was left. Only a brave knight could save the maiden from the dragon, if actions were not taken, the princess would be sacrificed the next day.The King of Egypt had promised his daughter’s hand in marriage to brave man who could defeat the dreadful dragon.  Saint George, in his will to do good, was determined to save the princess and he rode out to the lake on the next day.
When he arrived, he found the poor princess, waiting to be fed to the dragon. Saint George approached the dragon’s cave… When the huge dragon heard Saint George’s horse approaching, he came out of his cave and roared like thunder.Saint George was not afraid for he would not let the princess be killed that day!So he struck the monster with his sharp spear, but the dragon’s scales were so very hard that the spear broke into pieces. Saint George insisted upon his intent and though he fell from his horse but did not give up. Instead, he rushed at the dragon and used his sword to hit the dragon under its wing where no scales could be found. The dragon fell dead at Saint George’s feet and the princess was saved…

Ilda Camarneira


References:
BBC News. (s/d) St. George. Disponível em http://news.bbc.co.uk/2/hi/entertainment/1708750.stm
BBC News. (s/d) St. George. Disponível em http://www.express.co.uk/pictures/galleries/2691/27-things-you-didn-t-know-about-St-George-s-Day-England-pictures/Children-in-St-George-s-Day-fancy-dress-at-Wrest-Park-St-George-s-Day-Festival-Bedfordshire-58142
Scholastic. (s/d) http://www.scholastic.co.uk/assets/a/20/a9/dragon-pcps-217327.pdf.
St. George. (s/d) http://www.britannia.com/history/stgeorge.html

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Hans Christian Andersen

… a ler


A propósito dos 210 anos do seu nascimento, escrevo este mês sobre Hans Christian Andersen.

Fig.1 – Fotografia de Hans Christian Andersen, em 1869

Este autor nasceu no seio de uma família humilde a 2 de abril de 1805 em Odense, Dinamarca. Desde cedo foi incentivado a desenvolver a imaginação e a criatividade pelo pai, que lhe possibilitou a aprendizagemda leitura, contando-lhe muitas histórias tradicionais, fabricando até um pequeno teatro de marionetas, onde apresentava algumas peças de Shakespeare. Com a morte do pai em 1816, Hans viu-se obrigado a desistir da escola e a começar a vida laboral, trabalhando primeiramente como aprendiz de tecelão, evoluindo até alfaiate. Tendo uma excelente voz branca, foi aceite em 1819 no Teatro Real da Dinamarca. No entanto, devido a todos os processos biológicos, a sua voz “mudou”, deixando pouco tempo depois o seu papel de voz branca e assumindo o papel de ator e bailarino. Hans, depois do seu “falhanço musical”, começou a escrever a sério por influência de um amigo que o considerava um poeta.
Em 1828 foi admitido na Universidade de Copenhaga em Filologia, acabando por alcançar  o reconhecimento internacional em 1835, quando lançou o romance O Improvisador, na sequência das viagens que o tinham levado a Roma, depois de passar por vários países da Europa.

Fig.2 – Edição espanhola de O Improvisador

Apesar de ter escrito diversos romances para adultos, livros de poesia e relatos de viagens, foram os contos de fantasia para crianças que tornaram Hans Christian Andersen famoso, especialmente porque na época não era normal serem escritos livros dirigidos às crianças.
No final de 1872, Hans ficou gravemente ferido ao cair da própria cama, permanecendo com a saúde debilitada até 4 de agosto de 1875, data do seu falecimento, tendo sido sepultado em Copenhaga.
Hans Christian Andersen tem um vasto espólio literário, de onde se destacam: O Patinho FeioO Soldadinho de ChumboA Pequena SereiaA Princesa e a Ervilha e A Pequena Vendedora de Fósforos.
Graças à sua contribuição para a literatura infanto-juvenil, foi estabelecido o dia 2 de abril, data do seu nascimento, como o Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil e dado o seu nome ao mais importante prémio internacional de literatura infanto-juvenil - o prémio Hans Christian Andersen.
Como nota de curiosidade, Hans Christian Andersen visitou Portugal em 1866, a convite da família O'Neill. Durante a sua estadia de cerca de dois meses, registou as suas impressões sobre várias cidades portuguesas (onde se incluem Lisboa, Setúbal e Palmela), tecendo grandes elogios às suas paisagens.


Afonso Marques, 12.º CT3

Referências bibliográficas
Wikipedia. (2 de fevereiro de 2015). “Hans Christian Andersen”. Disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/Hans_Christian_Andersen
Infopédia. (s/d). “Hans Christian Andersen”. Disponível em http://www.infopedia.pt/$hans-christian-andersen
Bio. (s/d). “Hans Christian Andersen”. Disponível em http://www.biography.com/people/hans-christian-andersen-9184146

quinta-feira, 16 de abril de 2015

as profissões e o Homem…. [2.ª parte]

 saber para bem viver


- Ora vivam - apresentou-se a Profissão com um sorriso de simpatia contagiante, vamos então apresentar os palestrantes convidados que vos irão dar dicas para os consultarem na Net, bastando para isso clicar no link. Se tiverem dúvidas podem ir colocando questões: Economista, Médico, Formador/Professor/Docente, Engenheiro, Arquiteto, Mecânico, Pedreiro, Conserteiro /Ourives, Padeiro, Cozinheiro, Calceteiro de Calçada, Agricultor, Ferreiro, Serralheiro, Metalúrgico, Advogado, juíz, Delegado do Ministério Público de Portugal, Solicitador, Contabilista, Gestor, Empresário, Futebolista, Treinador de Futebol, Árbitro,Veterinário, Técnico de Marketing, Jardinagem, Político, Rececionista, Ator, Escritor, Agrónomo, Marinheiro, Agente da Guarda Republicana, Agente da PSP, Agente da Judiciária, Comerciante, Vendedor/ Caixeiro Viajante…e outros que ainda não estão presentes , mas poderão ainda chegar.

-De qualquer modo poderão ir à internet consultar o sítio: guia das profissões www.mp.anqep.gov.pt - Ora muito bem, como já todos viram, uns mais e outros menos, vamos lá a dúvidas e comparações…. – solicitou a Profissão.
Lentamente começa a surgir um pequeno dedo e a seguir a mão e depois o braço meio dobrado.
- Então diga lá – sugere a profissão.
- Qual a diferença entre um contabilista e um gestor- inquiriu o jovem.
- Muito bem, qual é o seu nome?
- Pedro.
- Muito bem, vou tentar responder o mais resumido possível, por causa do tempo e se quiser desenvolver vá a um dos sítios já identificados ou outros que descubra. Isto é a regra para todos. Obrigado pela vossa atenção, mas temos que gerir o tempo para que possa dar o maior número possível de respostas dentro do horário previsto. Os horários são para cumprir… -não é Pedro?

- É…- respondeu o jovem em voz sumida e pouco à vontade, o gerou alguns risos.
- Pois é Pedro pelos vistos há por aqui gente que não tem por hábito cumprir horários

- Comentou a Profissão com um sorriso, mas logo acrescentando com ar mais sério:

- Cumprir horários é extremamente importante, não só por nós, mas também pelos outros e pelo trabalho e compromissos profissionais. - Pedro, qual é a sua profissão?
- Não sei…
- Então que trabalho é que faz? -Já cá falámos disso…
- Ah! é estudante…
- Pois é …. Gostaria que dissessem que é um mau profissional?
- Não…
- Pois claro! Boa! Isso é que é atitude. Então vamos lá à questão. Normalmente o contabilista é responsável pela área da Contabilidade ou zona da empresa onde se registam, nos documentos relativos às compras e vendas e outros gastos, os valores e se fazem cálculos sobre a situação económica e financeira da empresa ou outra instituição qualquer. O gestor tem uma ação mais ampla porque pode ter várias funções isto é, coordenar o serviço de contabilidade, os serviços administrativos e os serviços de compras e vendas que estão interrelacionados. O gestor será o responsável pelas decisões dos resultados que o contabilista lhe apresentar relativos às compras, vendas, despesas relativas a salários, custos de comunicações, eletricidade, etc. -Percebeste?
-Sim …Obrigado!
-Muito bem outra vez, Pedro! -Fizeste duas coisas importantes: respondeste à questão e agradeceste…Isto é muito importante porque a simpatia e o respeito pelo trabalho dos outros deve ser respeitado quando é feito com responsabilidade. Podias ter dito que não e eu voltaria a explicar. O resultado era o mesmo. Muito bem! Quem mais quer perguntar? Digam primeiro o nome e depois coloquem a questão
- O meu nome é João. Qual a diferença entre um agente da Policia de Segurança Pública e um agente da Guarda Nacional Republicana?
-Boa! A PSP é uma força de polícia civil, não faz parte dos quadros do exército enquanto na GNR os oficiais superiores, que a gerem, são os mesmos do exército e têm a mesma disciplina militar. Por outro lado a PSP age nos grandes centros urbanos e a GNR nos pequenos e na província. As funções são idênticas.
- O meu nome é Francisco. Qual a diferença entre um advogado e um juiz?
- Boa tarde Francisco. De uma forma muito simples um advogado apresenta as provas de acusação ou de defesa de uma pessoa, num tribunal, perante um juiz. O juiz perante os factos apresentados vai decidir, com base na lei, se o acusado é culpado ou inocente.
- Sou o Ricardo. Qual a diferença entre um arquiteto e um engenheiro?
-Boa tarde Ricardo. Quando fazes a comparação deves estar a referir-te ao engenheiro civil, porque há outras engenharias como por exemplo: informática (há várias especializações), eletromecânica, mecânica, ambiental, mecatrónica, naval, florestal, etc.
-Então podemos dizer que a arquitetura e engenharia, na construção civil se complementam ou seja, a arquitetura desenha e define a forma de uma casa, de uma ponte de uma estrada, etc., e a engenharia civil decide da viabilidade física do projeto e da sua construção.
-Boa tarde. Eu sou o Emanuel e gostaria de saber para que servem os solicitadores.
-Boa tarde Emanuel. Como deves ter visto ao consultar a net, o solicitador pode ter um curso de solicitadoria ou de advogado, de forma a conhecer as leis e os procedimentos legais nas diversas circunstâncias. Por isso, podem representar cidadãos e empresas na resolução de determinados atos nos tribunais, no registo civil e predial, etc., facilitando a vida às pessoas que desconhecem determinados procedimentos legais e poupando-lhes tempo.
-Bom, interveio o Diretor da escola, hoje damos por encerrada a sessão. Se tiverem dúvidas sobre alguma coisa relacionada com a vossa vida podem dirigir-se ao gabinete de Psicologia e Orientação onde um Psicólogo vos pode ajudar. Boa tarde e boas férias da Páscoa.






Fernando Catarino

terça-feira, 14 de abril de 2015

Leituras em Rede, n.º 6 - Política


... a propósito dos 41 anos do 25 de abril


Ainda não é já, mas pelos ideias políticos firmados no dia 25 de abril de 1974 não há caminho que termine. A cada nova geração se inicia o processo de tornar o homem num homem político.


quarta-feira, 8 de abril de 2015

as profissões e o Homem…. [1.ª parte]

… saber para bem viver




Bem-vindos à segunda parte deste encontro – apresentou o presidente da escola – a que a Profissão vai dar continuidade com as Profissões e o Homem. Para além dos convidados trazidos pelas pela Profissão temos um especial que vai abrir a sessão. Caros jovens e menos jovens ao vosso dispor para as questões que desejarem: O Trabalho!

O Trabalho tinha aspeto de algum cansaço, mas um ar de satisfação espelhada no rosto e isso repercutia-se no rosto claro, sorridente e com ar descansado que transmitia a segurança e o conforto que as remunerações monetárias ( e de realização pessoal dão ás pessoas….
- Bom dia, como já foi dito o meu nome é Trabalho e fui convidado para falar um pouco sobre mim. Todos nós temos interesse em saber por que existimos, mais cedo ou mais tarde questionamo-nos sobre isso. Quando jovens, há a tendência para ter uma atitude fútil ou de mera ignorância relativamente à importância do trabalho para cada um e para a sociedade. Hoje em dia a vida do ser humano extinguir-se- ia sem o trabalho. Porquê? O que é o trabalho? Afinal quem sou eu? Bom, poderei definir Trabalho como sendo a “ Atividade desenvolvida pelo Homem para produzir bens (batatas, telemóveis…) ou prestar serviços (transportar pessoas, consertar canalizações, formar pessoas,…). Mas porque é que se tem de pagar o trabalho? Porque o trabalho consome energia a que se chama Força de Trabalho e se o Homem trabalhasse sem repor essa energia a vida esgotava-se e morria. Era o que acontecia antigamente com a escravatura.

Só depois de muitos conflitos entre os trabalhadores e quem detinha o poder é que se conseguiram as condições atuais. Contudo, se não houvesse trabalho não haveria confusões! Porque é que se tem de trabalhar? A razão é simples: Porque os recursos na Natureza são escassos ou seja existem em quantidade limitada e quanto maior for o número de pessoas, maior é a necessidade de produzir bens ( alimentares , de vestuário, de conforto,…) para satisfazer as necessidades das pessoas . Já percebem porque é importante trabalhar? Pois é, mas com o crescimento da população mundial hoje é de cerca de 7 mil milhões de pessoas! Como se pode produzir tantos produtos para alimentar tanta gente? Com tecnologia e conhecimentos ou Saberes diversificados. Para falar disso temos as Profissões
- Desculpe posso colocar uma questão? Interrogou um jovem
- Claro, posso imensa desculpa port ter terminado sem dar a possibilidade de colocarem questões. Então diga – retorquiu o Trabalho.
- Estudar também é trabalho? continuou o jovem
- Muito boa pergunta. É verdade. Estudar também é trabalhar – respondeu o Trabalho com um sorriso, como quem aguarda outra pergunta, que não tardou.
- Então porque é que não me pagam? – retorquiu o rapaz com ar de injustiçado
- Bem, começou o Trabalho, essa pergunta não é fácil de responder, mas vou tentar.

O estudo é uma formação individual, um benefício que se tem, para se conseguir uma oportunidade para trabalhar. Numa situação de não intervenção do Estado tinha que ser o próprio ou os pais a pagar-lhe a formação. Para evitar que os jovens não obtenham uma formação que se considerou básica necessária para o desempenho de uma série de atividades, que teria que ser paga pelos encarregados de educação e que poderiam não o fazer por diversas razões (falta de dinheiro, participação nos trabalhos da família,…)  o Estado criou o ensino obrigatório para que os jovens adquirissem uma formação em função dos seus interesse e gostos, de forma a poderem desempenhar uma tarefa, quando adultos em função das suas preferências e aptidões profissionais. Se não estudassem começariam a trabalhar ainda como crianças para poderem pagar a sobrevivência. Desta forma ela é assegurada pelo trabalho dos vossos pais e a cooperação da sociedade, através de subsídios e apoios pelo estado às famílias em deduções no IRS. O  rendimento dos estudantes é indireto , embora numa espécie de troca direta, escambo . Se somarem todos os benefícios que têm (água, luz , vestuário, alimentação, habitação, conforto, segurança, família,…) verão que a  remuneração não é má…Concluiu o Trabalho com um sorriso e um comentário : - Oxalá muitos de vocês consigam no futuro o conforto que tem em casa.
- Bom não havendo mais perguntas – disse o Trabalho, terá a palavra a Profissão.
Contudo esta sessão irá continuar na segunda parte do programa. Vamos almoçar e à tarde continuamos. Até já

(Continua)


Fernando Catarino