domingo, 22 de junho de 2014

NO CAMINHO DA CIÊNCIA

A PUBERDADE...                   


          

                  


                                                                                                    
A adolescência é uma fase de grandes mudanças. Tudo muda. Muda o corpo e muda a mente. Muda a forma de ver o mundo e mudam as relações com a família e os amigos.  É certo que ao longo de toda a vida o indivíduo experimentará mudanças. Entretanto, na adolescência o processo de amadurecimento biológico, psicológico, sexual e social é muito intenso.

                                                                       

 A fase da adolescência inclui diversos aspectos que serão vivenciados por uma pessoa: mudanças físicas marcantes relacionadas com o amadurecimento sexual do indivíduo; estabelecimento de relações de grupo; desenvolvimento de novas responsabilidades; e construção de valores pessoais relacionados ao seu ambiente social.  

A adolescência é um momento de transição que pode ser difícil e custoso porque o adulto que virá ainda "não nasceu" e a criança que existia ainda "não morreu". É neste espaço entre a infância e a vida adulta que o adolescente constrói a sua identidade. 




A puberdade é o período da adolescência no qual se dá o desenvolvimento sexual, juntamente com uma aceleração do crescimento. Neste período ocorrem rápidas alterações na estatura, peso e desenvolvimento sexual. Todo o processo é regulado pelo sistema nervoso de forma ajustada e sincronizada. Na puberdade existe uma ordem de acontecimentos diferentes para os rapazes e para as raparigas. As raparigas tendem a iniciar e a terminar este processo muito antes que os rapazes.   


                                           
A puberdade é o aspecto biológico da adolescência. Na puberdade acontece o desenvolvimento dos testículos nos homens e ovários nas mulheres e desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários, que são aqueles que nos permitem diferenciar os homens e as mulheres, tais como o formato do corpo, o desenvolvimento das mamas, o crescimento de pelos e o timbre da voz.

                                                                                                            
O corpo nesta fase está voltado para a produção de hormonas sexuais que são diferentes em cada sexo. Os meninos produzem, entre outros, a testosterona e as meninas o estrógeno.





É possível determinar uma média de idade em que as mudanças acontecem nos corpos dos adolescentes. Alguns adolescentes entram na puberdade muito cedo, outros muito tarde. Existem variações que se podem caracterizar como uma puberdade precoce ou atrasada. Diversos fatores podem levar a tais alterações, entre eles fatores ambientais, situações de stress e intenso desgaste emocional, atividades físicas intensas, algumas substâncias químicas e desnutrição.
Puberdade precoce é o início do desenvolvimento sexual antes dos 8 anos nas meninas e 9 anos nos meninos. Em ambos os sexos pode ocorrer pelos, acne, crescimento acelerado, alteração de comportamento, sendo que nas meninas o primeiro sinal é geralmente o crescimento das mamas e nos meninos o aumento no tamanho dos testículos.
Nos últimos anos, muitas crianças têm apresentado puberdade precoce, gerando grande preocupação nos pais. Os motivos desta antecipação estão em investigação.


                                            
Puberdade atrasada, os adolescentes não desenvolvem características sexuais na faixa etária esperada. A ausência dessas características em meninas, a partir dos 13 anos, e para os meninos, dos 14 em diante, caracteriza um quadro de retardo da puberdade.
Para os que têm um desenvolvimento precoce, as alterações representam uma vantagem, mas, para os que se desenvolvem mais tarde, a ausência de alterações pode ser um problema.


                                             
As comparações entre adolescentes e as opiniões de outras pessoas influenciam imenso a forma como os adolescentes se veem a si mesmos. Quando o desenvolvimento termina, a diferença entre todos é muito menor.


Procura mais informação sobre este tema na Biblioteca da tua escola, o Boletim Bibliográfico seguinte dá-te algumas pistas.
                                                               


Paula Neves

TEMPO DE LEITURA

 PAPIANO CARLOS E A LITERATURA INFANTIL




O destacado poeta e contista nasceu em Moçambique em 1918 e faleceu, nos arredores da Maia, em 2012, deixando uma vasta obra.

Veio para Portugal, fixando-se na cidade do Porto, onde concluiu os estudos secundários e ingressou na Faculdade de Engenharia, curso que não chegou a concluir devido aos seus interesses literários.


 

Em 1942, publicou a sua primeira obra Esboço, uma coletânea de poemas, seguindo-se outras, destacou-se, pela sua combatividade, entre os poetas neorrealistas portuenses conhecidos como a “Geração dos 50”. Foi um cidadão envolvido politicamente contra o fascismo o que lhe valeu ter sido preso por três vezes pela PIDE. Fez parte da delegação portuguesa para a Paz e Cooperação.

                            

Como nutria uma grande estima pelo público infantil, escreveu várias obras para crianças, tendo-se notabilizado com o livro A Menina Gotinha de Água (1962). Prosseguiu com  Luisinho e as Andorinhas (1977), O Cavalo das Sete Cores e o Navio (1980), O Grande Lagarto da Pedra Azul (1986) e A Viagem de Alexandra (1989).



Para acederes  a uma versão digital da  Menina Gotinha  de Água  da responsabilidade de Maria Barros, clica no  .

Ouve também a versão musicada por João Filipe, no álbum Cantarolando, deste bonito texto de Papiano Carlos.



Isabel Aires





terça-feira, 10 de junho de 2014

NO CAMINHO DA CIÊNCIA


                                                                            Dia mundial dos oceanos



Em 1992 durante a conferência «RIO 92» foi estabelecida a data de 8 de Junho como o Dia dos Oceanos. Em 1994 a comunidade internacional deu um passo importante para a proteção dos oceanos, particularmente através de um decreto oficial da Convenção das Nações Unidas para o Direito do Mar. Um dos principais assuntos, além da preservação da fauna e da flora, é a proteção das populações de algumas espécies como o atum, tubarão, peixe espada e merlin.
                                                 


Os oceanos cobrem dois terços do planeta que é a nossa casa. Para além de serem o habitat de um vasto número de plantas e animais, geram a maior parte do oxigénio que respiramos, são fonte de alimento e de novas moléculas para medicamentos, regulam o clima que torna a vida possível no nosso planeta, fornecem múltiplos recursos aos seres humanos e energia. São ainda fonte de inspiração para poetas. Este bem precisa cada vez mais de proteção, porque as ameaças vão crescendo em escalada. É isso que hoje está em debate quando se celebra o Dia Mundial dos Oceanos, assinalado no mundo, e em Portugal com diversas actividades.


                       

As ameaças perfazem uma lista longa. É a pesca em excesso, que está a ceifar espécies, são os acidentes, como o do golfo do México, cujo impacto ambiental é  incalculável, é a poluição não acidental, em resultado das actividades industriais normais da civilização humana, é o dióxido de carbono a mais que as águas oceânicas vão absorvendo, com efeitos negativos a prazo nos crustáceos. Estes poderão começar a ter dificuldade em reduzir as suas carapaças duras num meio mais ácido.

Os oceanos são tudo isto: fonte de vida e um mar de problemas.



Os Oceanos têm uma grande importância ecológica, política e sociocultural, ao funcionar como fator essencial para a sobrevivência da espécie humana e de todos os seres vivos no nosso planeta.


O tema deste ano em destaque é “juntos temos o poder de proteger os nossos oceanos". Estando em foco questões relacionadas com a preservação das espécies e biodiversidade marinha, promoção de boas práticas e da pesca sustentável.

                    

Autoridades das Nações Unidas divulgaram mensagens de encorajamento à comunidade internacional e de reflexão sobre os vários benefícios dos oceanos, bem como sobre o compromisso em mantê-los saudáveis e produtivos para as atuais e futuras gerações.

A Assembleia Geral da ONU já reconheceu os oceanos e mares como um tema importante para o crescimento sustentável. Infelizmente, ações humanas como super exploração, pesca ilegal e destrutiva, práticas insustentáveis de aquicultura, poluição marinha, mudança climática e acidificação estão esgotando mais rapidamente os preciosos recursos das águas.

Escolas assinalam o dia dos oceanos com o intuito de sensibilizar o público escolar para a importância do papel que os oceanos desempenham no nosso Planeta
                        É tempo de parar para pensar. E de mudar o que houver a mudar.



Por muitas razões, devemos todos proteger os oceanos assegurando a sua biodiversidade e, consequentemente, o nosso futuro.




Referências bibliográficas
(s/a).(s/d). Dia mundial dos oceanos disponível em

DN Ciência (s/a). (8/06/2010). Dia mundial dos oceanos com várias atividades. Disponível em

Revista Planeta Sustentável (s/a). (10/2012). Disponível em


Paula Neves

NO CAMINHO DA CIÊNCIA

O QUE É O ADN?


O ADN é o suporte universal da informação genética que define as características de cada organismo vivo.

Com exceção dos gémeos univitelinos (que provêm de um único óvulo), o ADN de cada indivíduo é exclusivo, cada ser humano possui duas formas de cada gene, uma que recebe da mãe outra que recebe do pai. Mesmo sendo a maioria dos genes iguais entre as pessoas, algumas sequências do ADN variam de pessoa para pessoa. Para saber a paternidade de uma criança, faz-se o teste de ADN, que vai confirmar a sua origem genética. O ADN determina todas as características genéticas dos indivíduos, como a cor dos olhos, dos cabelos, da pele, os grupos sanguíneos a altura, etc.


                                        
O ADN é uma molécula que contém as instruções que um organismo necessita para se desenvolver, viver e reproduzir. Estas instruções são encontradas dentro de cada célula e são passadas de pais para filhos.

As fitas de ADN, quando esticadas medem cerca de 2 metros de comprimento. Portanto, para caber numa célula, o ADN é enrolado muitas vezes e forma uma estrutura denominada cromossoma.
                                 
                  


Cada célula do nosso organismo possui 46 cromossomas, 23 que recebemos do nosso pai e 23 da nossa mãe.
A estrutura da molécula de ADN foi descoberta conjuntamente pelo norte-americano James Watson e pelo britânico Francis Crick em 1953,  nove anos depois foram agraciados com o Prémio Nobel de Medicina.


                                            
O ADN de um indivíduo pode revelar se este está em risco de ter certas doenças. Os testes de ADN ou testes genéticos são usados por uma variedade de razões, incluindo o diagnóstico de doenças genéticas e para determinar se uma pessoa é portadora de uma mutação genética que possa passar aos seus filhos.

O Teste de ADN pode revelar doenças raras rapidamente.
80% das doenças raras têm origem genética identificada. Estas representam entre 3% e 4% dos nascimentos.
                    


                            
As doenças raras caracterizam-se pela ampla diversidade de distúrbios e sintomas que apresentam e variam não só de doença para doença, mas também de doente para doente que sofra da mesma doença.

O presidente da Eurordis, afirmou que as pessoas com doenças raras têm frequentemente que «lutar, sacrificar-se e empenhar-se» mais do que os outros.






Apesar da maioria das pessoas experienciar algum tipo de deficiência no decorrer das suas vidas, as pessoas sem deficiências e/ou doenças raras tratam frequentemente as pessoas com deficiência e/ou doenças raras como as “outras” (ou seja, como um grupo separado, isolado e diferente do resto da comunidade).

O preconceito e a discriminação devem ser combatidos em qualquer momento e local.



Quem discrimina coloca – se , equivocadamente, num  plano superior às outras pessoas, desconhecendo, ou fingindo desconhecer, que todos estamos mais ou menos aptos  a exercer alguma função ou atividade.
                                                                 


Referências Bibliográficas
Definição, estrutura e descoberta do ADN disponível em


(s/a).(09/2010). Doenças raras. Disponível em
 http://www.linharara.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=4&Itemid=4

Appanah, Nathacha. Boletim informativo da EURORDIS(maio 2011). Disponível em

(s/a).(02/2006).Teste de ADN disponível em

Paula Neves

Tempo de leitura

 Robert Louis Stevenson e A ilha do tesouro



Robert Louis Stevenson

Nasceu em Edimburgo, na Escócia, em 1850 e faleceu em 1894, vítima de uma hemorragia cerebral. A família desejava que ele desse continuidade à profissão do pai, engenheiro civil, mas a sua débil saúde conduziu-o a outra escolha. Assim, seguiu a formação em Direito, tendo completado os seus estudos nesta área.

 Adotou um estilo de vida boémio, desviando-se do ambiente rígido da sua família. Gradualmente, foi quebrando os vínculos familiares, por divergência de opiniões e de perspetivas de vida. Em 1876, casou com uma norte-americana divorciada, facto que o distanciou ainda mais da família.

Os problemas de saúde que o afetaram (tuberculose) obrigaram-no a constantes mudanças de localidade, com o intuito de procurar ambientes climáticos mais favoráveis ao seu problema.

Robert Stevenson foi poeta, ensaísta e romancista. Celebrizou-se com a publicação, em 1883, da obra  A ilha do tesouro.




Sinopse

“ Numa noite de Dezembro, uma faroleira descobre um velho livro num baú que dera à costa. As letras douradas do título estão quase apagadas, as páginas cobertas de bolor são ilegíveis; só o papel das ilustrações resistiu...
 De súbito essas imagens ganham vida e, um após outro, os heróis do livro contam à jovem a sua fabulosa história!
 Billy Bones, o homem da cicatriz, lorde Trelawney, Ben Gunn, Jim Hawkins, o jovem e corajoso marujo, e Long John Silver, o pirata da perna de pau, sonharam todos eles descobrir o tesouro do sanguinário capitão Flint...”

Trailer do filme

Assiste ao trailer do filme baseado no romance de Stevenson clicando na imagem que se segue.





 Mais leituras...

 Descobre também outras obras do autor que poderão ser ótimas sugestões para férias.





                      


Referências bibliográficas:
(s/a).(s/d).Bibliografia de Stevenson, Robert Louis e sinopse do romance A ilha do tesouro disponíveis em http://www.wook.pt/ficha/a-ilha-do-tesouro/a/id/171608

Trailer do filme Treasure Island de Steve Barron lançado em 2012, disponível em  
http://www.bing.com/videos/searchq=trailler+do+filme+a+ilha+do+tesouro&docid=608000484035333725&mid=4E932777C7ECD5A5E9D74E932777C7ECD5A5E9D7&view=detail&FORM=VIRE1#view=detail&mid=4E932777C7ECD5A5E9D74E932777C7ECD5A5E9D7

Maria Teresa Corte Real