terça-feira, 25 de março de 2014

NO CAMINHO DA CIÊNCIA


Dia Mundial da Água: ciclo da água, poluição, consciencialização cívica




Celebrado mundialmente desde 22 de março de 1993, o Dia Mundial da Água foi recomendado pela Organização das Nações Unidas (ONU) durante a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a Eco-92. 


                                      

Desde então, as celebrações pelo mundo acontecem a partir de um tema anual, definido pela própria organização, com o intuito de abordar os problemas relacionados com os recursos hídricos.
Segundo a ONU, o tema oficial do Dia Mundial da Água de 2014  é Água e Energia. A escolha ocorreu porque água e energia estão intimamente interligadas.
                                           


A água, assim como o Sol, é um recurso natural indispensável à vida no planeta Terra. Possui um enorme valor económico, ambiental e social, fundamental à sobrevivência do Homem e dos ecossistemas no nosso planeta. As primeiras formas de vida surgiram nos oceanos há cerca de 4 milhões de anos. A água é fundamental porque é um recurso natural único, escasso e essencial à vida de todos os seres vivos.


                                             
Água é fonte da vida. Não importa quem somos, o que fazemos, onde vivemos, nós dependemos dela para viver. No entanto, por maior que seja a importância da água, as pessoas continuam a desperdiçar água e a poluir os rios e suas nascentes, esquecendo o quanto ela é essencial para as nossas vidas.



                                 

A poluição da água é qualquer alteração das suas propriedades físicas, químicas ou biológicas, que possa prejudicar a saúde, a segurança e o bem-estar das populações, causar danos à flora e à fauna, ou comprometer o seu uso para fins sociais e económicos.

As principais fontes de poluição dos rios, lagos, ribeiros e toalhas de água - águas superficiais e subterrâneas - são as águas residuais resultantes da indústria, da agricultura e das actividades domésticas. As águas residuais estão carregadas de sais minerais, substâncias não bio-degradáveis, fertilizantes, pesticidas, detergentes e micróbios que tornam a água imprópria para abastecimento público e põe em causa a vida dos seres vivos que habitam os rios, ribeiros e lagos.

  

                     


A ONU estimou que 768 milhões de pessoas ainda carecem de água potável, quatro anos depois de se atingir o Objetivo de Desenvolvimento do Milénio, ao reduzir-se para metade a proporção de pessoas sem acesso a água. Em nota divulgada recentemente o Fundo da ONU para a Infância (Unicef) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) estimaram que 1.400 crianças menores de cinco anos morrem diariamente de doenças  associadas à falta de água potável, saneamento e higiene adequada.
Ainda Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 80% das doenças que ocorrem nos países em desenvolvimento são ocasionados pela contaminação da água.

A água realiza um movimento na natureza, o chamado ciclo da água Este movimento é infinito e circular. Ele ocorre através do processo de evaporação das águas da superfície (rios, lagos, oceanos, etc) do planeta Terra e também pela transpiração dos seres vivos.
O vapor de água, proveniente da evaporação, forma as nuvens na atmosfera. Quando estas nuvens ficam sobrecarregadas e atingem altitudes elevadas ocorrem as chuvas. Esta água que cai das chuvas vai parar aos oceanos, rios e lagos. Depois, a água vai evaporar novamente, formando assim o ciclo da água mais uma vez.

O ciclo da água é de extrema importância para a manutenção da vida no planeta Terra. É através do ciclo hidrológico que ocorrem a variação climática, criação de condições para o desenvolvimento de plantas e animais e o funcionamento de rios, oceanos e lagos.

Observa agora de forma interativa o ciclo da água no sítio abaixo:

Nos nossos dias, o desperdício aliado ao aumento na procura deste recurso, tornou-se num problema que requer a atenção de todos, devido à decrescente disponibilidade de água doce no nosso planeta. Se tivermos em conta que diariamente usamos a água nas mais diversas atividades da nossa vida (higiene pessoal, alimentação, rega, limpeza, indústria e agricultura), e nem sequer percebemos a noção da sua importância, temos  a prova de que ainda temos muito que aprender relativamente à importância deste recurso na nossa sobrevivência.


                               

Paula Neves

TEMPO DE LEITURA


José Eduardo Agualusa, sabores de África


"Escrever me diverte, e escrevo também, porque quero saber como termina o poema, o conto ou o romance. E ainda porque a escrita transforma o mundo. Ninguém acredita nisto e no entanto é verdade."
                                          José Eduardo Agualusa

Nasceu em Angola em 1960, mas veio para Lisboa em 1975 para tirar o curso de agronomia, acabando por se dedicar inteiramente ao jornalismo e à literatura.

 Do seu trabalho consta a colaboração em vários jornais e revistas (Expresso, o Semanário, o África Jornal, o Público, a revista Ler), a participação no programa televisivo  “ A Hora das Cigarras”, sobre música e poesia africana, difundido na RDP África e uma variada produção literária desde contos, peças teatrais, novelas, romances e poesias.






As suas obras estão escritas em mais de vinte línguas, tendo sido o primeiro escritor angolano a receber, em 2007, O XII Prémio “Independent” de Ficção Estrangeira, no Reino Unido, com o romance O Vendedor de Passados. Entre outros prémios consta o Grande Prémio Gulbenkian de Literatura para crianças, em 2002, obtido pela edição do livro Estranhões e Bizarrocos.

 É actualmente um dos escritores mais importantes da literatura africana.


  Podes ver e ouvir uma adaptação em vídeo da autoria de Brígida Renata sobre o livro A girafa que comia estrelas, clicando no sítio abaixo:

Isabel Aires

segunda-feira, 24 de março de 2014

TEMPO DE LEITURA

José Saramago, o primeiro escritor português Nobel da Literatura




O “Mestre” da língua portuguesa assim reconhecido por muitos críticos literários, nasceu,  no distrito de Santarém, em Azinhaga, em 1922, num meio familiar com parcos recursos económicos e, por isso, não pôde prosseguir para a universidade, concluindo apenas o ensino técnico.

Iniciou a sua vida profissional como serralheiro mecânico, seguindo-se outras bem diferentes daquela que viria a abraçar e da qual viria a viver exclusivamente a partir de 1975, a de escritor. Contudo a par dessas profissões, foi desenvolvendo a sua atividade literária, nem sempre contínua, tendo escrito o seu primeiro livro Terra do Pecado, em 1947.

Colaborou na revista Seara Nova e nos jornais Diário de Lisboa e Jornal de Notícias como crítico literário, tendo sido diretor –adjunto do último do qual  viria a ser saneado por questões políticas, em 1975. Fez parte da Direção da Associação Portuguesa de Escritores, tendo sido, também, presidente da Assembleia Geral da Sociedade Portuguesa de Autores de 1985 a 1994

Recebeu vários prémios ao longo da vida entre os quais o Prémio Camões (1995), o mais importante prémio literário da língua portuguesa e o prestigiado Prémio Nobel da Literatura, em 1988.

 O seu destaque internacional deveu-se ao seu estilo único, irónico e interventivo questionando a realidade nos vários domínios. Tinha uma forma de escrever não convencional com longos períodos sem vírgulas, sem marcas de diálogos. Harold Bloom, o crítico literário norte-americano, considerou- o, em 2003, “ o mais talentoso romancista vivo”.
   
Deixou-nos, em 1988, com uma vasta e variada obra desde contos, romances, textos dramáticos, ensaios, crónicas a poesias. As obras O Ensaio sobre a Cegueira e O homem Duplicado foram adaptadas ao cinema, a última recentemente.

     
Entre os muitos livros que escreveu apenas se conhece um belo e delicioso conto dedicado à infância   A Maior Flor do Mundo que poderás ler na tua biblioteca. 
Saramago considerava-se com pouco jeito para escrever para crianças.



Poderás ainda ver o vídeo sobre este conto e ouvir a voz do próprio escritor.

  




Se quiseres ler o obra, acede ao sítio seguinte:
http://www.slideshare.net/bibliotecaesas/a-maior-flor-do-mundo-3473261

Isabel Aires

sexta-feira, 21 de março de 2014

DIA MUNDIAL DA POESIA

COMEMORAÇÕES


As crianças dos Jardins de Infância do Agrupamento Finisterra - Cantanhede celebraram o Dia Mundial da Poesia elaborando pequenas obras de arte com o sempre carinhoso e dedicado  apoio das suas educadoras.
No vídeo seguinte, poderão ver uma pequena amostra do talento e criatividade que todos revelaram.


Mas nada melhor que desfrutar, ao vivo e a cores, desta pequena mas colorida exposição que se encontra na Biblioteca Escolar Carlos De Oliveira.

                           Lettera PImmagine lettera O Immagine lettera E Immagine lettera S Immagine lettera I Immagine lettera A

Licínia Torres

NO CAMINHO DA CIÊNCIA

         Dia mundial da floresta / árvore


A comemoração oficial do Dia da Árvore teve lugar, pela primeira vez, no estado norte-americano do Nebraska, em 1782. John Stirling Morton conseguiu mover toda a população a consagrar um dia do ano à plantação ordenada de diversas árvores para resolver o problema de escassez de material lenhoso.
Em Portugal, a primeira Festa da Árvore comemorou-se a 9 de Março de 1913 e o primeiro Dia Mundial da Floresta a 21 de Março de 1972.
                                                         
Atualmente, O Dia Mundial da Árvore ou da Floresta celebra-se, anualmente, a 21 de Março, início da primavera. Neste dia decorrem várias ações de arborização e reflorestação, em diversos locais do mundo.
Em alguns países  este dia é comemorado a 21 de setembro quando começa a primavera nos mesmos. 


O objetivo da comemoração deste dia é sensibilizar a população para a importância da preservação das árvores, quer ao nível do equilíbrio ambiental e ecológico, quer da própria qualidade de vida dos cidadãos.


As florestas têm um papel fundamental na regularização do ciclo da água e na proteção dos solos face à erosão, constituem importantes ecossistemas que suportam uma rica biodiversidade, isto para além de proporcionarem a produção de inúmeros bens materiais, os quais vão muito além da produção de madeira, pasta de papel ou cortiça, como aliás a investigação tem posto a claro nos últimos anos, seja no domínio da alimentação, como da saúde ou na descoberta de inúmeras matérias-primas para indústrias diversas.

Nunca é de mais relembrar que a progressiva degradação e destruição da área florestal, que tem vindo a acontecer já há alguns anos, leva a que a qualidade da vida das populações seja cada vez menor. Por todo o Planeta, as florestas naturais desaparecem a um ritmo assustador dando lugar a processos de erosão e desertificação que são acompanhados de uma perda de biodiversidade enorme. O exemplo mais gravoso vem das florestas tropicais, como a Amazónia.


Municípios através do departamento da cultura comemoram o Dia da Árvore e Dia Mundial da Floresta, realizando diversas atividades com as quais se pretende promover o contacto com as plantas e sensibilizar para a problemática dos incêndios florestais. Também agrupamentos de escolas, assinalam este dia principalmente com os alunos do 1º CEB de forma a chamar atenção das crianças para que estas possam transmitir a seus pais e familiares da importância que é a preservação da floresta, para um desenvolvimento sustentável.

 A 21 de Março comemora-se também o Dia Mundial da Poesia

Qualquer vida é muita dentro da floresta
                                                " Se a olharmos de cima, parece tudo parado.
   Mas por dentro é diferente
 A floresta está sempre em movimento
     Há uma vida dentro dela que se transforma sem parar
 Vem o vento.
                                                                    Vem a chuva.                                                                   
                                                         Caem as folhas.                                                        
    E nascem novas folhas.
    Das flores saem os frutos.
     E os frutos são alimentos.
  Os pássaros deixam cair as sementes.
   Das sementes nascem novas árvores.
   E vem a noite.
  Vem a lua.
 E vêm as sombras que multiplicam as árvores.
 As luzes dos pirilampos são estrelas na terra.
    E com o sol vem o dia.
                                                                      Esquenta a mata.
                                                                      Ilumina as folhas.
                                                            Tudo tem cor e movimento."
Poema de um índio Ticuna 


                                 A Floresta sempre teve uma importância vital!!!

Esperamos que…

as florestas possam continuar a ser um presente para o futuro!



Paula Neves

segunda-feira, 17 de março de 2014

Poetas de palmo e meio

Nas asas da imaginação



Os pequenos poetas do 1º CEB da escola da Fontinha provaram que o poesia está ao alcançe de todos e presentearam-nos com a sua fresca e alegre criatividade.


PERDÃO

Eu peço desculpa,
Eu tenho toda a culpa.
 
Não sei o que tanto me excita,
Não foi de propósito, acredita!

Aqui vai o meu perdão,
A sair do meu coração.

Peço desculpa por isto,
Lembra-te disto.

És o meu melhor amigo.

Quero estar sempre contigo!

 Camila Cardoso – 4º ano (9 anos ) Fontinha




AS CRIANÇAS


O tempo de criança
Traz muita esperança.

Temos muita fantasia
E trazemos alegria!

Os corações alegramos,
Somos pequenos e brincamos.

Recebemos carinhos
E muitos miminhos.

Fazemos muitas brincadeiras
E algumas maroteiras!

As crianças são pequenas
 E gostam de prendas.

Assim são as crianças,
                                                 Que trazem muitas lembranças!

Camila Cardoso – 4º ano (9 anos)  Fontinha



O MAR

Sua água é azul,
Grande é o seu fundo.
É uma coisa natural
Do nosso mundo.

É a casa de alguns seres vivos.
Assim é o mar:
É muito bonito
Mas perigoso para brincar.

Lá moram muitos peixes,
Algas e estrelas-do-mar,
Há conchas e búzios
Que gostamos de apanhar.

Tatiana - 4º ano (9 anos ) Fontinha




AMIZADE

A amizade é tão boa,
Com os meus amigos vou contar.


 Não a vou desperdiçar,

Comigo podes contar.


Serei sempre teu amigo.
Sem ti não serei ninguém.



Teu carinho vou receber
Teu amigo irei ser.

Igor - 4º ano (9 anos ) Fontinha

NO CAMINHO DA CIÊNCIA

Obesidade, um problema atual



Durante séculos, gordura foi sinónimo de formosura. No entanto, em pouco tempo, tudo se alterou e a ideia  de que “magreza é beleza” passou a ser dominante nas sociedades atuais. Nessa transição de mentalidade, os obesos deixaram de ser formosos e passaram a ser encarados como pessoas não atrativas, entrando em crises de tristeza, depressão e exclusão social, o que os levou a ficar ainda mais gordos.




Embora haja outros fatores  responsáveis pelo desenvolvimento da obesidade que não são modificáveis, como a idade e a tendência hereditária, pois quando os  pais sofrem de obesidade os filhos correm o risco de sofrerem também, é a dieta moderna, rica em gordura industrializada, com as famosas gorduras hidrogenadas, contidas em alimentos tais como doces, margarinas, biscoitos, batatas fritas e outros, a principal causa da doença.


A falta de exercício físico também é uma das causas responsáveis pelo problema.O sedentarismo faz parte da sociedade moderna atual, onde as pessoas têm tudo ao seu alcance, não necessitando de fazer esforços, que podem contribuir para  queimar calorias, favorecendo o aumento  de gordura corporal.

O excesso de gordura é reconhecido em todo o mundo como uma das principais ameaças à saúde, aumentando o risco de várias doenças crónicas como diabete tipo 2, doenças do coração e hipertensão arterial. A obesidade tem crescido de tal forma  nas últimas duas décadas que tem sido tratada como uma epidemia. Existem estudos que preveem  possíveis consequências  desta epidemia no futuro , não só sobre as doenças crónicas, mas também sobre a idade média de vida da população. Hoje, a obesidade, se não for prevenida e evitada, deve ser tratada, até se necessário com medidas cirúrgicas (operações) para os casos mais graves.

O excesso de peso é hoje um dos maiores problemas de saúde no país. Os elevados índices de obesidade alertam para um importante problema de saúde pública, que obriga a verificação da discriminação, preconceito e proteção em relação às pessoas obesas.

A alimentação saudável é um dos principais fatores responsáveis pela prevenção do cancro. Estima-se que as caudas responsáveis por 30% de todos os cancros estejam ligadas à alimentação e a estilos de vida, nomeadamente peso excessivo, baixo consumo de fruta e hortícolas, falta de exercício físico, tabaco e consumo excessivo de álcool.


Gif

A obesidade é uma doença que tem aumentado ao longo dos anos, e cada vez mais  nas crianças. Em Portugal existem 15% de crianças entre os 6 e 9 anos com obesidade e 35% com excesso de peso. Um grave problema de saúde com consequências graves  ao longo da vida. A nível europeu, investigadores estão interessados em compreender a relação entre o comportamento social e a relação familiar no desenvolvimento da obesidade.

Segundo a Organização Mundial de Saúde  "a obesidade  é considerada como a epidemia global do século XXI. Ainda de acordo com esta organização, se não se tomarem medidas capazes de prevenir e tratar a obesidade, teremos 50% da população mundial obesa em 2025".

Por isso, cuida de ti, faz uma alimentação variada, equilibrada e pratica exercício físico, pois um bom aluno precisa de um corpo e uma mente sãos.

GifGif                                   gif de frutas         

Paula Neves                                             

segunda-feira, 10 de março de 2014

Alves Redol: a alma portuguesa

A escrita e o compromisso social




Alves Redol viveu entre 1911-1927. O pai do Neorrealismo português, assim considerado, começou a escrever desde cedo e deixou uma vasta e variada obra: contos, romances, poesia, crónicas e peças dramáticas.

Filho de um comerciante ribatejano, iniciou, cedo, a sua vida no mundo laboral, logo após a conclusão do curso comercial. Teve uma vida difícil. Emigrou, para Angola, aos 16 anos, em busca de melhor vida, mas, sem sucesso, regressou a Portugal.

Seguiram-se várias profissões para sobreviver o que lhe proporcionou um conhecimento real do mundo laboral, das dificuldades sociais e económicas, por isso empenhou-se em desenvolver atividades de esclarecimento, de alfabetização e de formação da classe operária. Mais tarde, filiou-se no partido comunista. Simultaneamente, desenvolveu a sua atividade literária, caraterizando-se por uma escrita de intervenção social, documentando a vida precária das classes menos favorecidas. Era uma voz incómoda ao regime ditatorial de Salazar, por isso foi perseguido e preso para além de algumas das suas obras terem sido censuradas.

Colaborou com vários jornais regionais e nacionais (Mensagem do Ribatejo, O Notícias Ilustrado, O Diabo e O Sol nascente). Destacou-se com o romance Gaibéus, em 1939, considerada a primeira obra neorrealista, seguindo-se Marés, Avieiros Fanga onde foi abordada a vida dos camponeses e pescadores do Ribatejo. Em Uma Fenda na Muralha, retratou o drama dos pescadores da Nazaré, mas atingiu o ponto alto com o romance Barranco dos Cegos , publicado em 1961

Também escreveu para as crianças e jovens, destacando-se as seguintes obras: O Constantino Guardador de Vacas, a série Maria Flor, A vida mágica da Sementinha.

Foi um escritor reconhecido internacionalmente. Em 1945, foi nomeado Secretário Geral da Secção Portuguesa do Pen Club (associação internacional de escritores). Fez parte da delegação portuguesa, no Congresso dos Intelectuais Internacionais para a Paz.

Desfruta, agora, da obra Flor vai ver o mar.


A flor vai ver o mar- alves redol from mjoaodelgado


Fontes de informação:
Alves Redol. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [Consult. 2014-03-10].
Disponível na www: <URL: http://www.infopedia.pt/$alves-redol>

Biografia de Alves Redol in Hemeroteca da Câmara Municipal de Lisboa. 2005. 


Isabel Aires